Curso em 2 aulas com Valcapelli

Eu comigo e de bem com a vida.jpg

Procuramos estar sempre em conformidade com o meio, atender as expectativas dos outros ou ter um desempenho digno de admiração alheia. Mas pouco damos conta de como estamos nos sentindo ou nos encontramos em determinada situação.
Olhar para si, não é uma prática comum. Desde cedo aprendemos a acatar o que nos foi passado, sem espaço para perceber a nós mesmos: “vamos sair, hora de ir para escola, venha comer . . .” esses tipos de indagações foram frequente durante a criação. Os adultos não se dirigiam a nós perguntando: você quer vir, está pronto para ir à escola, está com fome? . . . Colocações dessa ordem levam para dentro de si, criando uma forma de trajeto para o interior. Desse modo aprendemos a nos solicitar antes de sair para as ações, nos tornamos mais centrados em nós e menos dependente dos outros e dos resultados alcançados par anos sentir bem. 
A própria fisiologia da visão consiste em identificar o que existe a nossa volta, o olho não enxerga a nós mesmo, é preciso uma superfície de espelho para nos apresentar aos próprios olhos.
Esse movimento é de fora para dentro e não contempla o que temos dentro. Quem nos ajudaria a nessa referência interior seria a mente que produz os pensamentos, criando reflexões e auto-observações. No entanto a mente é composta dos elementos exteriores nela estão os registros do que vimos, do que aprendemos, ela é constituída pelos elementos externo e não é educada a se dirigia a nós, mas sim a acatar os elementos exteriores.
Assim sendo, como fazer para permanecer centrados em nós? Essa conexão se dá pela alma, através dos sentimentos, por isso é importante dar vazão a eles. Se permitir explorar o que estamos sentindo e considerar essa subjetividade do Ser.
Para ser mais pautável nessa conexão consigo mesmo temos as sensações que o corpo produz a todo instante. Observar por exemplo as posições que se encontram as pernas, prestar a atenção nos pés se eles estão confortáveis, as costas se estão acomodadas. Dessa forma vamos perceber as sensações de calor, frio, pressão e outras sensações que passarão a serem observadas.
Ao se conectar consigo, obtém-se a autorreferencia , tornando-se mais forte e decidido para agir na vida. Pode ser que as ações não sejam prontamente assertivas, mas vamos compondo uma gama de ações agradáveis e nos autorregulando durante as trajetórias da vida. Passamos a ser norteados pelas próprias sensações de conforto e desconforto; quando algo se mostra agradável, somos favoráveis e quando percebemos algum desconforto, nos esquivamos. 
Pode-se dizer que assim estamos presentes o tempo todo naquilo que vivemos e não nos abandonamos, tampouco nos anulamos. Estando consigo mesmo, vamos estar bem com tudo o que nos cerca e com todos que se encontram do nosso lado.

Valor R$ 75,00

Informações WhatsApp  (11) 99471 3490