24 horas no ar

Benefícios e malefícios dos horários expandidos no cotidiano das pessoas.

 As atividades diárias têm se estendido e vai noite adentro. O aumento dos afazeres causa uma sensação que os dias estão mais curtos. Ocupamos mais o tempo, de tal forma que os dias não têm sido suficientes para dar conta das tarefas, exigindo que adentremos a noite. Alguns profissionais permanecem 24 horas online, muitos levam trabalho para casa e vão noite adentro com a finalidade de pôr em dia os seus afazeres.

A sociedade tem se adaptado e essa nova realidade das famílias brasileiras, principalmente nos grandes centros urbanos.  Muitos serviços estão sendo prestados durante 24 horas. Supermercados, festfood e outros.

As programações familiares são cada vez mais tarde, os pais trabalham até tarde, os filhos chegam tarde da escola ou das atividades extracurriculares; as programações televisivas se estendem noite adentro. E, ainda tem o computador fazendo parte da rotina de muitas famílias, absorvendo mais tempo para navegar na internet; e por ai vai...

Os benefícios ou malefícios da modernidade dependem da maneira como cada um vivencia esse processo. Podem-se observar alguns impactos psicoemocionais dessa nova dinâmica sociofamiliar, como segue:

As pessoas que trabalham excessivamente, levam serviço para casa e varam noites; obviamente esse empenho favorece o sucesso na carreira. Provar competência e se sobressair na empresa são indispensáveis para o progresso profissional. No entanto, quando a pessoa passa a viver em função do trabalho, comprometendo o lazer e as relações afetivas, familiares e sociais, isso pode explicar-se pelas fugas das dificuldades encontradas nestes setores da vida. Decepções amorosas, familiares e outras frustrações podem levar algumas pessoas a se envolverem exclusivamente com o trabalho. Nesses casos, o campo profissional deixa de ser uma área de realização e passa a representar mecanismos de compensações ou de fuga.

Dedicar-se à instrução e ao aperfeiçoamento amplia os horizontes, possibilitando maior chance de inserção no mercado de trabalho. Essa conduta também melhora o desempenho perante o grupo de amigos e familiares. Porém, aqueles que se isolam no computador, no estudo, na frente da TV etc., reforçam as suas dificuldades de relações interpessoais.

A impressão que se tem acerca da modernidade é que as pessoas estão se distanciado delas mesmas e enfraquecendo os laços relacionais e afetivos. A dinâmica frenética do cotidiano parece enfraquecer emocionalmente os indivíduos. Os atrativos tecnológicos tornam algumas pessoas dependentes e alienadas. A independência almejada por muitos trouxe em alguns casos, a carência.

Usufrua os privilégios tecnológicos da modernidade, mas não se desconecte da realidade. Reserve tempo para apreciar as suas conquistas; sinta-se satisfeito por ter alcançado alguns objetivos.

 Cultive as relações sociais e afetivas. Utilize os meios de transportes e de comunicação que encurtam a distância, para se aproximar das pessoas queridas. Não perca a condição humana de contentamento e prazer nos envolvimentos.

Torne significativo cada momento de sua existência. Aproveite os recursos tecnológicos para melhorar a sua qualidade de vida, não permita que eles sufoquem a sua essência.

Viva tudo o que a vida oferece; seja intenso, mas não negue as suas limitações; se dê apoio e sinta-se bem consigo mesmo. Assim o progresso vai beneficiá-lo e não sufocá-lo.

Valcapelli.

AMOR SEM CRISE

As relações afetivas representam um dos maiores desafios da existência humana, e, sem dúvida, é a experiência mais agradável da vida. Somente quem ama consegue avaliar a importância de manter acesa essa chama.

O amor é um sentimento unilateral. Apesar de promover a integração com a pessoa amada, ele se manifesta em quem o sente; desabrocha a afetividade, banhando o próprio ser. A pessoa exterioriza esses conteúdos em forma de carinho, atenção e afeto para com aquele que ama; ela também se torna amável para com todos que a rodeiam. No tocante ao amor propriamente dito, não se conta o quanto a pessoa é amada, mas sim, o quanto ela ama e o amor que ela sente.

Por outro lado, amar e ser amado são os desejos de todos os enamorados. A busca pelo sentimento correspondido visa a estabelecer o relacionamento. Este por sua vez, é uma via de mão dupla. Cada um participa com os seus conteúdos, compartilhando as situações da convivência.

Um dos ingredientes do amor é o interesse; a pessoa quando ama se interessa pelo que diz respeito ao outro. Isso favorece a integração das diferenças entre o casal. Não há necessidade da anulação de si, tampouco de sufocar a própria natureza para se relacionar. Espontaneamente surge uma atenção especial para com os costumes e o jeito da pessoa amada. Mesmo não comungando certos hábitos, no mínimo se tem compreensão e respeito. O afeto possibilita a interação harmoniosa entre o casal, supera as divergências e estimula a busca por ações conjuntas.

O amor minimiza as crises do relacionamento. No sentimento não existe crise; esta é derivada da relação com a pessoa querida. Amar é abrir o “coração” e deixar ser invadido por esse poderoso conteúdo da alma. Relacionar-se é sair do seu mundo e mergulhar num universo desconhecido, abrir mão de alguns critérios e abandonar certos conceitos em prol de um fim bom para o casal.

As crises no relacionamento sinalizam o fim do amor. Para reacender a chama do sentimento faz-se necessária a disposição de ambos para a conquista de uma relação saudável. Vale lembrar que a integração com o outro é uma condição indispensável para ser feliz no amor. O sentimento pode ressurgir se os dois estiverem dispostos a serem felizes afetivamente.

Um dos grandes agravantes da harmonia do relacionamento é a mente. O campo da racionalidade e os desconfortos da convivência reprimem o afeto. No cotidiano surgem as diferenças quanto à forma de pensar e agir, como não são resolvidas por meio de dialogo e de atitudes que visam estabelecer os acordos para o convívio saudável, tornam-se pontos de divergências que comprometem o relacionamento.

Quando o fluxo do amor for reduzido a mente começa a interferir na relação, transferindo para o outro as próprias expectativas, as carências e as frustrações. Esses conteúdos são extremamente nocivos para o relacionamento. Vale lembrar que a pessoa amada não é depositária das suas angústias, medos e incertezas. Ao contrário, a relação amorosa pode se tornar uma fonte de transformação desses ingredientes, que são nocivos para a autoestima e afetam o amor próprio. Pode-se dizer que ter uma “boa cabeça” é indispensável para a felicidade amorosa.

Abandone os critérios e sinta o amor. Não olhe para o jeito do outro, deixe jorrar o sentimento de amor

Cada um ama a sua maneira e é feliz por amar, não por ser amado.

A literatura sugerida para explorar mais o tema é o livro Amor sem Crise, autor: Valcapelli (Ed. Vida e Consciência).

Você que usa óculos, já entrou no box do chuveiro com os óculos? Quando se deu conta estava começando a tomar banho? Caso tenha acontecido alguma vez, isso deve ter causado constrangimento, principalmente se alguém soube do ocorrido, devem ter satirizado ou feito comentários, tais como: você é distraído(a), está estressado(a) e outros. Quem deveria ficar desconcertada são as pessoas que interpretaram dessa forma, pois essas são colocações que não condizem com a verdade sobre esse acontecimento. Ao entrar no box para tomar banho, você se despe das roupas e acessórios que não fazem parte do seu corpo. Ao deixar os óculos no rosto, isso representa que ele já incorporou ao seu semblante. Como você precisa usar óculos continuamente, o fato de ele fazer parte do semblante é bom pois usá-lo não causa qualquer desconforto ou estranheza. Agora que você já sabe disso, se acontecer novamente não se constranja! Também não precisa lavar os óculos no chuveiro, pode deixar para higienizá-lo em outra ocasião. Ainda que tirar ele não faça parte do seu hábito, mas durante o banho não precisa estar com ele. E se você é um daqueles(as) cantores(as) de chuveiro, inspire no Chico Buarque e cante para os seus óculos: “Oh pedaço de mim, oh metade arrancada de mim, leva o teu olhar, que a saudade é o pior tormento, é pior do que o esquecimento” . . . .

REENCARNAÇÃO

No Workshop de aprimoramento e espiritualidade, realizado no Espaço Integração Ananda, em 12/11/2017 que teve como tema a reencarnação, o amigo espiritual Dr. Fausto, por meio de conexão mediúnica com o médium Valcapelli, transmitiu a seguinte mensagem para os participantes, destacando dois aspectos principais da reencarnação do espírito na vida terrena: evoluir e parar de sofrer.

No tocante à evolução destacou que esse processo se dá devido aos dois corpos que o espírito só veste quando está encarnado; o corpo entérico ou duplo entérico e o corpo físico biológico. Esses recebem o fluxo dos talentos e potenciais do Ser que vertem pelos corpos astrais até atingir a esfera orgânica. Os chakras são ativados pelas sensações e geram forças magnéticas que se propagam no ambiente em forma de magnetismo pessoal, influenciando aqueles que estão ao redor. Essa força potencial retorna do ambiente para o corpo físico, alimentando os demais corpos astrais. Esse trânsito colabora com a evolução do Ser

Enquanto a pessoa atua no ambiente ela fortalece os seus conteúdos espirituais. Pode-se dizer que aquilo de que nasce de si, como a serenidade, benevolência, convicção no bem e outros fatores positivos influenciam as outras pessoas e retorna para o corpo em forma de bem-estar, saúde física e evolução espiritual. Por outro lado, a pessoa pode influenciar os outros ou ser influenciada pela negatividade do mundo exterior, pelo materialismo ou pelo pessimismo daqueles que a cercam.

A segunda questão principal da reencarnação, o fim do sofrimento, apresentado pelo Dr. Fausto, foi explanada da seguinte maneira: o espírito, quando está sofrendo no plano espiritual, reencarna para pôr fim aos seus infortúnios. Ele indagou aos participantes se algum deles já tinha experimentado o sofrimento. A resposta foi quase unânime, a maioria dos presentes se manifestou favorável, respondendo que já vivera alguma desgraça. Nesse momento o Fausto disse que é comum os reencarnados reverberarem esses estados ruins que trazem arraigados nos corpos energéticos e, com a punção da luz proveniente da essência do Ser, esses campos de energias impedem que sua luz brilhe e elas se desprendem para o ambiente.

Assim, em vez de espalhar boas energias, a pessoa contamina o meio com as suas desventuras. As mesmas, tanto podem ser diluídas nesse processo, quanto intensificadas, repercutindo em seu corpo físico e etérico, provocando doenças.

Portanto, segundo ele, quem sofre está desprendendo suas energias nocivas que produziu, nesta e em outras vidas, para liberar a sua própria luz que volta a brilhar eternamente.

Por outro lado, alguns estendem essas condições prejudiciais ao Ser por longos períodos; é quando o sofrimento está presente em suas vidas. Aquilo que era para ser desprendido e liberado, passa a ser fortalecido em si mesmo e nas pessoas que estão ao redor. A vida na matéria permite que se ponha fim às desditas, ou fortaleça as mesmas. É melhor estancá-las e ressignificar as desventuras, acentuando os bons sentimentos, aí sim o Ser atingiu o verdadeiro sentido da reencarnação.

Ele argumentou que o início da vida se manifesta na atmosfera do prazer entre o casal no momento da fecundação do óvulo. O prazer da relação do casal no ato da concepção deveria se repercutir durante toda a vida.  Em vez disso as pessoas acentuam o desprazer, o sofrimento e a dor, desvirtuando o sentido original da reencarnação.

Assim como o amor da mulher pelo seu parceiro influencia o ser que está sendo gerado em seu ventre a admirar e gostar do seu futuro pai, desse modo, caso o espirito que estiver reencarnando na família apresentar algum sentimento ruim para com a figura paterna, a mãe poderá influenciá-lo à afeição para com aquele que será o seu pai nesta vida, anulando dessa forma as desavenças de outras reencarnações.

A mãe não usa nenhum argumento verbal; ela apenas faz prevalecer o que sente sem argumentos plausíveis, pois o espírito reencarnante nesta posição intrauterina como feto não irá compreender. Basta ela manifestar o que sente com atitudes de carinho para com o seu parceiro.

No entanto, segundo o Dr. Fausto, não raro ocorre o contrário, a mãe pela sua profunda ligação com o feto, capta durante a gestação o sentimento de aversão do Ser que está em seu ventre, para com o seu companheiro. Dessa mesma forma ocorre a influência com as pessoas do convívio. O sentimento predominante influencia os outros a se sentirem da mesma maneira. Desse modo, ou influenciamos as pessoas que convivem ao nosso redor a serem como nós, ou somos influenciados pelos padrões nocivos delas, que prevalecem sobre nossos bons sentimentos, nos tornando tão negativos quanto elas. 

Na sequência do Workshop, foi canalizado o espírito que se apresenta como general. Ele transmitiu a seguinte mensagem a respeito dos soldados que nasceram para lutarem na segunda guerra mundial. Traziam nos seus corpos astrais, marcas profundamente arraigadas. Nasceram para irem à guerra e removerem essas camadas escuras do períspiritos com os ferimentos e mutilações das batalhas durante a guerra. Uma boa parte daqueles jovens perderam suas vidas durante os confrontos sangrentos, mas deixaram no campo de batalha, junto aos seus corpos massacrados pela guerra as energias nocivas que traziam consigo.

O General argumentou ainda que, os propósitos pelos quais aqueles jovens lutaram na 2ª guerra não eram tão nobres quanto a luz espiritual que cada um trazia dentro de si. Como essa luz interior estava apagada ou distante da sua consciência, eles precisavam se agarrar à força da sua nação e ao poder bélico do exército que representava a sua pátria que iam defender até a morte. Vestiam suas fardas e assumiam uma força exterior da sua nação, saindo de dentro de si onde predominavam as emoções que os fragilizavam. Quando estavam dentro da farda do exército, aqueles jovens cresciam e se sentiam gigantes poderosos. No entanto a causa que eles defendiam não era tão nobre quanto os talentos que possuíam dentro de si mesmos, mas não conseguiam acessar por si mesmos.

Sugeriu que os participantes assumissem a sua própria força em vez de dependerem da luz dos outros, do apoio e consideração de alguém. Assim não precisavam ser mutilados com ferimentos desnecessários durante a batalha da vida.

A mensagem desse espírito amigo acerca também das pessoas que reencarnam em lugares onde ocorrem catástrofes naturais que levam sofrimentos como terremotos, furacões e outros, possuem espécies de couraças energéticas que precisam ser removidas dos seus corpos astrais. Tanto as guerras quanto as catástrofes naturais limpam essas manchas escuras agregadas ao períspirito. Esclareceu que os brasileiros não sofrem com nenhuma dessas condições impactantes porque é um povo que traz consigo um tênue véu energético nocivo que pode ser desprendido com os processos da vida cotidiana, sem precisar passar por grandes tormentos para se libertarem e evoluírem. Eles podem rasgar o véu, que turvam a manifestação da sua luz interior e se reinventarem em plena vida que segue, sem grandes transtornos, exceto aqueles produzidos pela sua mente que interpreta de maneira pessimista e sofrida o que poderia ser superado sem tantos infortúnios.

Sua mensagem foi finalizada com frases de incentivo ao poder pessoal, sem precisar vestir a farda da aprovação e aceitação dos outros. Incentivou que os participantes acendessem sua luz própria e assumissem o seu poder espiritual.

Em se tratando de acender a luz própria, tivemos a incorporação dos índios Yamanas que viveram no extremo Sul da América do Sul, na região da Terra do Fogo. Eles celebraram com a luz da vela e fizeram um ritual de acenderem a luz própria de cada um dos participantes. Foi um momento de animação e contato com as sensações do corpo. Esses espíritos dificilmente se manifestam mediunicamente, desde que desencarnaram não sentiram mais a sensação de um corpo físico. Por meio da mediunidade eles tem contato com sensações produzidas pelo corpo do médium enquanto estão canalizados.

Durante a manifestação mediúnica dos Yamanas eles brincaram com o fogo das velas acesas no ambiente do Espaço Integração Ananda. Pegavam na chama da vela, deixavam a parafina escorrer na mão e no rosto do médium para terem a sensação do calor do fogo, que esse povo tanto prezava durante a sua vida num corpo físico, quando estavam encarnados. Foi uma animação de grande descontração entre os participantes com as entidades espirituais.

Relato feito por Valcapelli ao ouvir a gravação do evento.

REVELAÇÃO DOS ESPÍRITOS SOBRE A QUEDA DO AVIÃO DA CHAPECOENSE.

No domingo (04/12/2016), durante a celebração espiritual realizada no Espaço Integração Ananda, na presença de muitos participantes; contamos com a manifestação do Dr.Fausto, do General e de outras entidades espirituais, que incorporaram e transmitiram mediunicamente, por meu intermédio Valcapelli, a visão deles acerca do acidente aéreo ocorrido na Colômbia, na madrugada do dia 29/11/2016, que provocou a morte da delegação da Chapecoense, jornalistas, cinegrafistas e outros integrantes do voo.

Os espíritos falaram sobre a repercussão desse acidente no momento em que a nação brasileira atravessa; sobre as futuras participações dos jovens que tiveram suas vidas físicas encerradas nessa tragédia, após serem acolhidos e cuidados no plano espiritual para superar o súbito desencarne, esses jovens e profissionais da mídia poderão ajudar, por meio de inspirações os atletas, para que eles não sejam acometidos pelo ego exacerbado, comprometendo a arte do esporte; os dirigentes de agremiações, que podem ser contagiados pelos lucros abusivos e manipulações esportivas; bem como alguns profissionais da imprensa para que a mídia inspire positivamente a sociedade.

Vou relatar por meio deste texto, que estou redigindo enquanto ouço a gravação do evento, porque considero revelador e confortante a visão dos referidos espíritos acerca desse acontecimento.

Durante a mensagem do Dr.Fausto, que foi um médico Inglês que atuou na 1ª guerra mundial, exercendo a medicina no fronte de batalha, ele desencarnou no ano de 1920. Desde os meus 15 anos de idade ele me acompanha, colaborando com o meu processo de desenvolvimento e intuindo o trabalho de conscientização por meio dos cursos livres, palestras e outros eventos.

Ele se referiu ao ocorrido com o time do Chapecoense, ele ressaltou a mobilização de fraternidade e o espírito de união do povo brasileiro e de várias partes do mundo, em torno do mesmo sentimento. Em especial a área do esporte, do jornalismo e direções esportivas foram sensibilizadas por esse acidente. Ele despertou nos presentes a importância de vibrarem pelas mães que perderam seus filhos, às mulheres as quais foram tiradas os companheiros do seu lado, os filhos que não vão mais contar com a companhia dos pais, aqueles que sequer vão conhecer o pai, cuja vida foi encerrada neste acidente.

O Dr.Fausto compartilhou uma experiência que ele viveu enquanto atuava nos campos de batalha. Relatou que havia um soldado ferido gravemente e implorava a ele que o salvasse a qualquer custo, pois ele tinha uma família esperando-o e um filho que estava por nascer. Seu apelo desesperado enquanto agonizava durante os procedimentos, tocaram fundo o médico que atuava com poucos recursos. Esgotaram as suas tentativas, todos os procedimentos foram em vão e aquele jovem morrera nos seus braços, clamando pela vida para voltar ao lar junto aos seus.

Ele nos relatou que durante os anos seguintes da sua vida levou aquele remorso por não conseguir salvar aquele soldado Inglês. Após o seu desencarne encontrou no plano espiritual aquele rapaz que se aproximou com semblante sereno, o seu corpo todo refeito. Para a sua surpresa ele o acolheu com muito carinho, manifestando gratidão pelos esforços na tentativa de salvar a sua vida. O jovem disse a ele que não fazia mais parte do caminho de vida de seus familiares a sua presença no seio do lar, e o seu filho que estava por nascer naquela ocasião, tinha uma existência ao lado daquele que seria o seu padrasto e a presença dele não contribuiria para o processo evolutivo de ambos.

Assim ele compreendeu, o quanto tudo deve ser exatamente da forma como acontece, principalmente no tocante ao nascimento e morte, a nenhum homem é dado o poder de intervir neste processo, pois existe um plano da divindade e não cabe a ninguém intervir de maneira decisiva.

Com esse relato o Dr.Fausto transmitiu aos participantes que aquele grupo de jovens e de profissionais em plena ascensão na carreira, não foram vítimas do mero acaso. Que o ocorrido, por mais dolorido que tenha sido para a nação brasileira, para Chapecó, outras cidades e principalmente para as famílias das vítimas, contribuirá de maneira indireta, porém não menos relevante, para o momento histórico de transformações que se fazem necessárias em diversas áreas: no futebol, na imprensa, na política e outros setores.

Esses jovens que saíram do cenário da vida terrena, por meio da morte acidental, tocaram centenas de miliares de corações, despertando os mais nobres sentimentos humano. Esses estados vibracionais da nação representam forças positivas que ajudam os espíritos que fazem parte das forças do bem, a influenciarem aqueles que atuam no cenário econômico, político e judicial a agirem para promover as mudanças, que vão minimizar a propagação do mau que se instalou em vários setores da sociedade, inclusive na política.

A melhor condição para que isso ocorra, segundo o Dr.Fausto, é por meio desses bons sentimentos que imperam neste momento sobre a nação. Esse estado fraterno e solidário do povo emite vibrações positivas que minimizam os ânimos exaltados pela revolta, indignação e desejo de vingança, por parte da população. O processo de mudanças que é orquestrado pela espiritualidade superior, com o objetivo de dificultar que as forças do mal, comandada pelos espíritos trevosos, interfiram na forma de administrar algumas empresas e de dirigir a nação Brasileira.

Essa forma de promover mudanças, feita sem derramamento de sangue, aliada a sentimentos de compaixão que está forte na população, com a perda de dezenas de vidas no acidente aéreo. Simultaneamente está acontecendo as decisões políticas que estabelecem leis, que vão favorecer ou atrapalhar a atuação dos dirigentes corrompidos com os autos lucros ou desvios de recursos do país.

Na incorporação do amigo General, que ocorreu em seguida durante a celebração espiritual. Ele também se referiu a esse fato, manifestando a admiração pelo nosso país que faz suas mudanças e conquista de novos horizontes, de maneira pacífica e sem derramamento de sangue. Ele revelou que na ocasião em que atuava como oficial do exército, participou de muitas batalhas sangrentas que ceifaram milhares de vidas de jovens soldados e famílias inteiras, para promover mudanças e conquista de novas condições para a nação que ele servia. Em outras ocasiões o general já relatou o seu arrependimento por ter servido ao ego inflamado dos seus superiores, elogiando o nosso país que promove significativas mudanças sem conflitos armados.

O mais importante neste processo que estamos atravessando, segundo o amigo espiritual General é tirar os mecanismos que permitem aos dirigentes praticarem abusos de poder causado pelo ego exaltado, pela sede de poder e ganância. Ocorrências desta natureza deixam a nação e as empresas doentes e com infiltração do mal que contamina alguns dirigentes que atuam na esfera de comando corporativo e/ou político.

Foi revelado que dentro de processo de transformação que está ocorrendo, nada ocorre por acaso, ninguém e nem o lugar que se passam os acontecimentos são aleatório. A fonte de contágio dessa coerente de irradiação do bem, a Colômbia onde caiu o avião, foi durante décadas fonte causadora de uma espécie de “câncer social”, assim descrito pelos espíritos do General e também pelo Dr. Fausto. Segundo eles aquele país onde imperava a violência e que figurou como principal fonte distribuidora de drogas, que causam efeitos desastrosos sobre uma sociedade, corrompendo jovens, destruindo famílias e comprometendo o desenvolvimento das novas gerações, também aniquilam o potencial humano das grandes nações.

A nova Colômbia surpreende o mundo com gestos comoventes de solidariedade e de generosidade, essas condições que representam aquele país na atualidade. Não mais a violência e o tráfico marcam aquela nação, mas sim essas manifestações positivas do povo colombiano diante do sofrimento causado pelo ocorrido.

Os amigos espirituais revelaram que de onde surge o contágio do mau, como o câncer social do toxico, é daquele lugar que se tira o elixir de transformação pelo amor e benevolência. Da Colômbia saiam “rajadas” nocivas de forças do mau e agora, com esse evento da queda do avião ela se tornou fonte de sensibilidade que tocou o mundo.

Agora a revelação principal relacionada às vítimas do acidente, aqueles jovens e profissionais que estavam em ascensão na carreira. Conforme relatou o Dr. Fausto, os espíritos que morreram no acidente serão, preparados no plano espiritual durante o período necessário para eles se refazerem espiritualmente. Depois eles vão poder atuar como presenças espirituais para inspirar positivamente os profissionais das suas respectivas áreas de atuação.

Os jogadores jovens que se ascenderam rapidamente no esporte e não foram iludidos pela fama, vão poder ajudar os jovens que se destacam no esporte, para não serem consumidos pela arrogância e a exacerbação do ego. Quando o sucesso vem rápido, nem todo atleta tem preparo emocional e espiritual para lidar com o sucesso e poderá cair nas influências negativas que abalam a sua carreira, levando-o a cometer exageros e tornar-se presa do mal, que paira sobre a mente das figuras expoentes da sociedade.

Os dirigentes da chapecoense que morreram no acidente, depois de serem cuidados espiritualmente e quando estiverem prontos, poderão inspirar a diretoria das agremiações a cultivarem o espírito esportivo. A proteção espiritual por parte dos espíritos benfeitores evita que as forças negativas infiltrem na cúpula e corrompam alguns membros dessas associações.

Os integrantes da imprensa que foram vítimas do acidente poderão inspirar os homens das redações, a veicularem notícias que influenciam positivamente a população.

 

Por fim, tive a oportunidade de assistir na mídia o encontro das torcidas dos times rivais do futebol paulista. Eles se encontraram para compartilhar a dor da perda dos jovens jogadores do Chapecoense. Quando vi essa cena pensei de pronto: “é um milagre”; essas torcidas, que quando se encontram, causam grandes conflitos, agora lado a lado comungando os mesmos sentimentos de solidariedade.

Realmente o ocorrido mexeu com muita gente, de vários setores da sociedade. Vibro para as famílias que perderam os seus entes queridos, sintam-se confortadas. Suas dores não estão sendo em vão, eles têm uma nação solidária ao sentimento de vazio que esses vencedores deixaram em suas vidas. O “coração” dos familiares pode estar vazio, mas o “coração” dos brasileiros estão cheios de solidariedade e compaixão.

Relato da mensagem dos amigos espirituais canalizados por Valcapelli.

Rua Luis Góis, 734 - Santa Cruz - Zona Sul - São Paulo

11 5072 6448 Fixo

11 99471 3490 WhastApp

11 996063993 WhasApp - Gleides

© 2017 por Gleides Testa

Cadastre-se e receba nossa programação.

Acesse sua caixa de spam se não receber nosso contato.